Trans In Games – Dark Souls – Dark Sun Gwyndolin

Lembram quando descobriram a moça trans em Guild Wars 2? Naquele dia eu me deparei com outra personagem que eu não fazia ideia de que era trans, ou de que o jogo ao qual ela pertence tinha isso na sua narrativa.

Então eu pensei… Vamos falar das personagens trans em videogames! Nós somos tão apagades, todos os dias, inclusive nos próprios videogames. E infelizmente personagens fictícias não tem bocas de verdade pra se impor o respeito que merecem graças à transfobia de todo dia. Eu vou falar sobre essas personagens, e de uma forma, por elas. Mesmo que eu diga que a sua narrativa seja transfóbica.

Mas hoje eu quero dar um bom exemplo de representação trans em videogames. E provavelmente o mais complexo de todos.

E cuidado que esse post contém “spoilers” de Dark Souls!

Talvez no futuro eu olhe esse texto e pense: “ele não faz juz à graça do Sol Negro”. Mas farei o meu melhor pra falar sobre a minha querida..

Dark Sun Gwyndolin

Ela é o primeiro… E na verdade o único… Exemplo de respeito para com uma mulher trans que eu já vi dentro de um videogame, e eu me apaixonei por ela.

Gwyndolin

Dark Sun Gwyndolin

Dark Souls é um jogo de narrativa implícita. Toda a história deve ser subentendida por diálogos nublados, detalhes do cenário, design das personagens, descrições de itens, mecânicas de jogo, comportamento de AI.

É difícil entender a narrativa do jogo. Se não fosse pela ajuda das pessoas geniais na internet, eu não teria entendido que essa mulher é trans, e nem os motivos pelas quais ela é tão maravilhosa.

Vamos começar com o lugar onde ela vive: Anor Londo.

É um lugar acima da montanha dos deuses, e a sua capital durante a Era de Fogo. Nenhum dos deuses vive mais em Anor Londo desde a partida de Gwyn, com exceção de Gwynevere e Gwyndolin, as filhas de Gwyn. E os mortos-vivos que vivem em Anor Londo fazem parte do Pacto da Blade of The Darkmoon, um grupo de mortos-vivos que adora Gwydolin e “caçam pecadores” (PvP). A cidade tem estátuas de Gwyn e Gwynevere, mas nenhuma de Gwyndolin. Na verdade, é difícil encontrá-la, e você pode passar o jogo todo sem nunca saber da sua existência.

Gwynevere, entretanto, é difícil de não se notar, vendo que ela é uma mulher gigantesca perto de uma das fogueiras de Anor Londo.

Existe um anel chamado Darkmoon Seance Ring, essa é a sua descrição:

Este anel é dado aos seguidores de Gwyndolin, deidade da lua negra, e último filho de Gwyn, Senhor da Luz Solar.

Confere magia adicional e espaços de sintonização.

O Sol Negro Gwyndolin é a única deidade restante em Anor Londo. Os seus seguidores são poucos, mas suas atividades são de importância vital.

Tá. Ok. Se referem a ela no masculino, o que me irrita e é bastante transfóbico. Mas fiquem comigo.

Gwynevere, Princesa da Luz Solar.

Gwynevere, Princesa da Luz Solar.

Note que o anel diz que Gwyndolin é a única deidade presente em Anor Londo, mas nós acabamos de ver Gwynevere! Bom… Se você equipar esse anel algumas salas abaixo de onde está Gwynevere, você verá que uma aparente parede havia desaparecido.

O caminho revelará um portal de luz branca, pelo qual Gwyndolin falará contigo para não se aproximar.

Alto! Esta é a tumba do Grande Lorde Gwyn. Maculada ela não será pelos pés dos homens. Se fores um verdadeiro discípulo do Sol Negro, deixai de lado a tua ira, e ouça a voz de mim mesma, Gwyndolin, e curva-te ante a mim.

Você pode se curvar para se juntar ao Pacto da Darkmoon Blade, ou invadir a tumba de Gwyn e lutar contra Gwyndolin, ou simplesmente dar meia-volta e nunca mais voltar.

Agora, se você atacar Gwynevere, você verá que ela morre com um simples golpe para quebrar a ilusão, e toda a luz de Anor Londo se apagará, e os cavaleiros e inimigos de lá desaparecerão. Bem como a porta secreta que leva até Gwyndolin.

Neste cenário, Gwyndolin dirá:

Tu que maculaste a imagem da Deusa Mãe, eu sou Gwyndolin, e tua transgressão não passarás sem punição. Tu perecerás no crepúsculo de Anor Londo.

TUDO em Anor Londo não passava de ilusão, e você despertou a ira de Gwyndolin por quebrar a ilusão.

Em relação às descrições dela.

Se você matá-la, Domhall Zena passará a vender um conjunto de armadura chamada Moonlight Set. Essa é a descrição encontrada em 3 dos 4 itens desse conjunto:

O poder da Lua era forte em Gwyndolin, e portanto, ele foi criado como uma filha. O seu traje é fino como seda e quase não oferece proteção física.

Isso é facilmente lido como trans. Mas também passa a ideia de que ela é na verdade AFAB, e a feminilidade lhe foi forçada pelo seu pai, mas eu tenho motivos para acreditar que esse não é o caso.

Vamos ler a descrição do capacete Crown of The Dark Sun, o outro item do Moonlight Set.

Esta coroa dos deuses demanda uma fé imensurável daquele que a usar, mas é banhada pelo poder da Lua Negra, que aumenta toda magia. A imagem solar manifesta a grande adoração de Gwyndolin pelo Sol.

Gywndolin_concept_art

Arte conceitual de Gwyndolin

Gwyndolin amava o Sol, e portanto, o seu pai. Ela protege a tumba do seu pai de forma obsessiva, e faz de tudo para manter a Era do Fogo viva na sua imaginação, com ilusões de sua irmã e de toda Anor Londo. Ela faz de tudo para manter vivo um passado que ela amava, mas não existe mais.

O que é tudo ótimo para a personagem, mas onde entra a relevância dela ser trans?

Especulo que o amor dela pelo pai dá-se pelo fato de que nenhum dos outros deuses além dele entendia o seu gênero, e tratava ela como a deidade lunar (e portanto, feminina) que ela realmente é.

E talvez deva ser esse o motivo pelo qual ela permaneceu em casa quando todos os outros deuses já haviam partido. Sem o pai dela, ninguém poderia protegê-la das injustiças do mundo, então ela se isolou com os seus adoradores em uma cidade de boas lembranças.

Vamos ao design da personagem.

A transgeneridade da Gwyndolin não é literal, e sim metafórica. Vendo a sua natureza como uma deusa, não há nada mais natural que os seus aspectos físicos sejam exagerados e metafóricos.

Ela usa uma máscara e um longo vestido sacerdotal, que serve de dois aspectos: Esconder o seu corpo e deixá-lo mais feminino – coisa que toda mulher trans já vez pelo menos uma vez na vida – e mostrar a sua devoção pelo pai.

O seu corpo não é simplesmente masculino. Ele é deformado. Na sua arte conceitual, suas mãos tem escamas escuras que não combinam com o seu rosto, o que nos faz pensar que todo o seu corpo do pescoço pra baixo tem um aspecto reptiliano.

E mesmo no jogo final, onde suas mãos parecem perfeitamente humanas, é possível deduzir que pelo menos da cintura dá cintura pra baixo ela possui um corpo com características reptilianas.

Por baixo do vestido, serpentes crescem. Serpentes que são muito maiores que ela. Elas podem ser vistas como um símbolo de mentiras, emboscadas e más intenções, provavelmente simbolizando o seu poder sobre ilusões.

E essas serpentes também pode ser vistas como símbolos fálicos. Um lado masculino que ela não consegue esconder (e provavelmente causa desconforto).

Lembram como a Anor Londo recriada por Gwyndolin não tem nenhuma estátua em sua homenagem, mesmo ela sendo a única deusa adorada pelos mortos-vivos que ali residem?

Ela não gosta da forma como ela se parece. Ela evita espelhos para não ter que olhar para as serpentes e para as escamas. Dessa forma, as serpentes também parecem ser uma metáfora para a disforia.

Agora vamos falar do comportamento da sua inteligência artificial durante a batalha contra ela.

gwyndolin2Inimigos serpentinos são comuns em Demon’s Souls, Dark Souls, Dark Souls 2 e Bloodborne, e eles não tem medo de atacar com emboscadas e venenos, mas Gwyndolin é a única inimiga com serpentes que nunca as usa.

Ela usa o poder da Lua (e portanto, da sua feminilidade) para lutar contra a personagem principal. Com magias, teleportes e a criação de um corredor infinito como uma arena, confundindo os sentidos de quem está jogando. Poderes associados com muitas deusas lunares em religiões do nosso mundo.

Ela poderia usar os aspectos do seu corpo masculino para matar a personagem principal, mas ela não faz isso. Sim, ela tem serpentes, mas ela ainda é uma deusa da Lua, e ela se comporta como tal.

Pensando em todas essas evidências dadas pelo jogo, noto que a história de Gwyndolin é uma tragédia.

Uma menina disfórica que não tinha nada na vida além do amor do seu pai (e da adoração de um pequeno culto secreto). E o pouco que ela tinha foi perdido ao final da Era de Fogo e a partida do seu pai e de todos os outros deuses.

Ela se viu incapaz de salvar o seu pai, ou ascender novamente os fogos que seu pai havia criado para reinar sobre o mundo, e no desespero, ela se isolou em um mundo onde nada mudou, e usou seus poderes para fingir que estava tudo bem, mas não estava, e ela sabia disso. Ela não poderia abandonar a tumba do seu pai e aceitar que ele jamais voltaria.

Ela está presa na sua tristeza, tentando criar falsas esperanças onde mais nenhuma existe.

tumblr_m30l3dc1941rn9ge0o1_1280.pngE esse é o tema principal de Dark Souls: Tristeza e falta de esperança. Cada personagem encontrado desistiu de lutar pela própria vida ou pelo bem do mundo de alguma forma diferente. A depressão paira sobre o mundo como se fosse uma praga, e não é diferente para os deuses.

E de certa forma é pior para Gwyndolin, pois a sua tristeza não vem só de fora, como de dentro do seu vestido.

E por mais que seja uma deusa fictícia dentro de um videogame, essa tragédia é muito mais comum do que parece.

É claro que estamos falando de Dark Souls aqui. A narrativa desse jogo funciona como um poema. Tudo está extremamente aberto a interpretações pessoais, e você pode discordar da minha versão da história da Gwyndolin com o mesmo número de evidências, mas com uma nova perspectiva. E essa é a beleza de obras de arte, e em particular, desse jogo.

O que vocês acham? Essa história faz sentido? É um bom exemplo de representatividade de mulheres trans ou essa história funciona melhor como poesia do que como comentário político?

Discutam nos comentários e na página do facebook.

E… Me mandem sugestões. Quais outras personagens trans de jogos eu devo falar? Suas sugestões seriam de grande ajuda pra mim!

Fefê ama vocês.

Beijocas! ;*

4 comentários sobre “Trans In Games – Dark Souls – Dark Sun Gwyndolin

  1. mikisrbek disse:

    Lembrando que a bonfire próxima a Gwynevere não é a única de Anor Londo. Inclusive, Anor Londo tem uma fire keeper, Lady of the Darkling, único Undead que resta após o personagem principal “quebrar as regras” de Gwyndolin.
    Não tinha ideia de que a história de Gwyndolin poderia ser tão complexa. Certeza que depois de ler esse post tenho mais admiração por essa personagem linda. Novamente mais um ótimo texto, Fê <3

    Curtir

  2. Kitsune Ws disse:

    Eu sou novata se tratando da serie Souls, jogando o Demon’s Souls atualmente e ja pretendia dar uma olhada no Dark Souls, mas seu post e conhecer a personagem me deixou com muita vontade de o jogar, o clima e o backstory realmente parece fantástico, e eu estou apaixonade por essa personagem, tanto desing quanto sua historia <3

    Curtir

  3. Allan Richardson disse:

    Resolvi pesquisar sobre ela depois de ver um gameplay onde ela aparece, e me deparo com esse lore incrível. Parabéns pelo texto maravilhoso

    Curtir

Deixe uma resposta para Kitsune Ws Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.