Dicas de Narratriz #1 – Organizar Informações

Narrar RPG de mesa é difícil. Não vamos mentir, é sim. E se tu quiser tomar o papel de narrador, narradora, narratriz ou como quer que você queira se entitular, você vai ter que dedicar boa parte do seu tempo pra preparação de suas campanhas. E até o mais improvisador de todos os narradores pode se beneficiar de algum preparo.

Eu narro apenas a 6 anos, e eu não sou DE FORMA ALGUMA uma expert. Existem pessoas muito mais experientes que eu por aí que escreveram livros sobre o assunto, e meus jogadores sabem o quanto eu consigo me embananar de vez em quando.

Mas conhecimento existe para ser compartilhado, por menor que ele seja. E eu acredito que narradores mais iniciantes podem tirar proveito dessas dicas.

Uma das grandes barreiras da narração de RPGs de mesa, é organizar todas as informações necessárias na sua cabeça. Felizmente nós temos escudos e papéis pra fazer essas organizações.

Eu creio que essas dicas são as quais eu tenho mais propriedade pra falar então começaremos por aqui mesmo, organização. E quaisquer outras dicas são mais que vem vindas nos comentários.

Mas vamos ao que interessa.

Desculpa, esse gif é muito bom pra não ser usado. HAUHEUAHUEHA. “Me chamam de GM das trevas”.

O Escudo

O escudo oficial do sistema que você está usando é útil, não vamos negar isso. Mas honestamente, qual jogo de RPG precisa só das informações no escudo pra ser jogado de forma limpa?

Os escudos ideais são sempre os customizados para o seu jogo, onde apenas a informação útil para você enquanto narradora existe. Você pode montar seu escudo de inúmeras formas, e tutoriais são o que não faltam na internet. Você pode fazer escudos com papelão, fichários, telas de pintura, até madeira se você tiver esse tipo de habilidade.

E se você já tem o escudo pronto oficial do seu sistema, não há nada que alguns papéis extras e durex não resolvam.

As informações que você vai precisar no seu escudo são:

Sistema

Todo tipo de detalhe do sistema de jogo que você vá usar e use tabelas ou coisas não necessariamente intuitivas.

Em um escudo de AGE eu teria uma tabela de armas, armaduras e escudos; uma lista de focos; uma tabela de referência de números alvos; uma tabela de perigos; uma tabela de modificadores pra rolagens de ataque; um lembrete de como morte funciona nesse jogo; e uma lista com todas as façanhas. E talvez eu colocasse abelas de venenos, granadas e armadilhas comuns se considerasse necessário. Bem como algumas poções de mana ou cura.

Essas são as informações que não vão mudar de jogo pra jogo, e você pode deixar colada de forma fixa dentro do seu escudo.

Alguns desses sistemas você pode acabar precisando lembrar mais que outros, então é uma boa ideia marcar as coisas que você costuma esquecer com uma caneta marcadora. Eu, por exemplo, marcaria a tabela de perigos e a de modificadores pra rolagens de ataque, porque eu sempre esqueço que essas merdas existem.

Passivas

Muitos jogos tem habilidades passivas que a narradora deve levar em consideração, pra rolar testes secretos sem deixar os jogadores saberem que esses testes estão sendo feitos.

Eu uso post-its pra lembrar habilidades passivas dos meus PdJs. E logo no topo da tela central do meu escudo, eu vejo um post-it rosa me mostrando que a Lurcile tem uma Percepção de 1, sem nenhum foco. E pra determinar se ela nota ou não algum tipo de emboscada, eu posso simplesmente realizar um teste de percepção pra ela sem que a sua jogadora note o que está acontecendo até o resultado fatídico.

Regras Caseiras

Quase todo jogo de RPG tem algum tipo de regra caseira que você provavelmente gostaria de levar em consideração.

No meu escudo de AGE, eu tomei a liberdade de colar nele as minhas regras especiais para viagens longas e encontros aleatórios.

Além disso, se for do seu feitio distribuir pontos de experiência logo no final da sessão, é útil ter anotado no seu escudo como essa distribuição acontece.

Caso vocês queiram saber, é assim que distribuo experiência nos meus jogos de AGE:

  • Participação: 100xp
  • Interpretação: 50xp a 150xp
  • Desafios: 100xp (fácil) a 250xp (médio) a 400xp (difícil)

NPCs importantes

Uma das partes mais difíceis de narrar é organizar todos esses malditos NPCs na sua cabeça.

NPCs importantes normalmente tem suas próprias fichas de personagem que você deve manter ao seu lado, mas na minha experiência existe uma coisa muito mais importante do que status quando se trata dessas personagens: Personalidade.

Mantenha um espaço na sua área de trabalho, talvez até uma seção do próprio escudo, dedicada a anotar traços de personalidade de NPCs importantes. Mesmo que você tenha habilidades teatras, interpretar tantos personagens ao mesmo tempo já é difícil. Se você não tem, é pior ainda. Manter esses lembretes de quem esses personagens são e como eles agem são, ao meu ver, muito mais importantes que todas as fichas do mundo.

E não é nada muito complexo. Apenas algumas palavras que te ajudem a lembrar como essa personagem age.

A Cassandra por exemplo, eu anotaria nesse espaço com as palavras “confiança e propriedade, não se permite duvidar, pudimzinho por dentro, (Disgusted Noise)“.

E ainda no tópico de NPCs importantes, nada é mais porre de interpretar do que dois NPCs interagindo entre si. Use alguma forma de indicador pra cada NPC envolvido na cena. Estes podem ser gestos de mão, miniaturas, bonecos, ou até fantoches de meia se você não se incomodar com o clima de comédia que isso obviamente criaria.

Cassandra Slightly Disapproves

NPCs aleatórios

Nenhum narrador no mundo inteiro consegue pensar em todo tipo de personagem que os seus jogadores encontrarão sua campanha. Mas é bom estar tão preparada quanto se é fisicamente possível.

Fichas de bucha de canhão

Quase todo RPG de mesa vai te provir com algumas fichas em branco pra buchas de canhão, ou então até buchas de canhão prontas, normalmente em capítulos chamados de “antagonistas”, “inimigos” ou coisas assim.

Essas são bastante úteis pra caso os jogadores entrem em combate com esses NPCs aleatórios. Claro que se você conhece o sistema o suficiente e já narrou ele o bastante pra ter status de personagem plausíveis impressos na sua cabeça você não vai precisar disso. Mas ainda é melhor ter esses papéis com acesso fácil pra ti

Caixinha de Pandora

Essa é a parte mais divertida dessas dicas, eu acho.

Sabe aqueles potinhos de remédios manipulados?

Eu tenho 2 desses, completamente cheios de papeizinhos com nomes aleatórios escritos neles, que eu posso simplesmente sortear quando preciso introduzir algum NPC novo. As pessoas costumam amar essa ideia quando conto pra elas. Foi o que me motivou a escrever essas dicas.

Uma vez que o nome foi sorteado, eu também recomendaria anotar em algum lugar o nome desse NPC novo, sua raça, local onde foi encontrado… Tudo que possa ser útil caso ele vá aparecer de novo. Separar um papel com essas informações e deixar perto de onde você anotou traços de personalidade de NPCs importantes pode ser útil. Só não vá misturar os dois. Existem uma diferença bem grande entre o Dragão Ancião que incumbe seu grupo de partir em uma cruzada mágica, e a anã que cuida da Taverna em Lothering.

Gerador de fichas

Ás vezes pode ser útil ter acesso a um criador de fichas aleatórias para NPCs pouco importantes.

Entretanto, estes nem sempre estão disponíveis para o seu sistema de escolha, então isso na realidade depende de se você é capaz de encontrar ou criar tal ferramenta. Caso não seja o caso, as fichas de bucha de canhão devem ser o suficiente.

Poderes possíveis

É interessante também manter com você alguma lista dos tipos de poderes de habilidades especiais que suas NPCs podem ter. Você pode se manter às mais comuns. Isso podem ser façanhas únicas (como as que animais usam em AGE), feitiços, talentos. O que quer que você ache útil ter com você e que provavelmente vai se repetir entre seus NPCs pouco importantes.

Em relação a feitiços eu prefiro deixar um marcador de página permanente no capítulo sobre magia e consultar a partir do livro mesmo. Mas as façanhas de animais estão anotadas bem bonitinhas no meu escudo.

Notas pré-sessão

As anotações que você fizer antes da sessão começar NÃO DEVEM passar de 1 página.

Tudo que você precisa colocar nessa página são nomes de alguns NPCs que podem ser encontrados (talvez com palavras chaves das suas personalidades e/ou informações que estes tenham), locais que podem ser visitados, itens que podem ser encontrados, e frases resumindo pontos da trama que seus jogadores provavelmente encontrarão. Organize essas informações em tópicos e subtópicos pra sua localização ser mais fácil.

Se suas anotações de preparação forem muito além disso, é provável que você fique frustrada com os jogadores destruindo tudo que você planejou. Mantenha sua preparação simples para que você mesma possa se manter flexível.

Iniciativa

Existem duas formas de trabalhar as iniciativas de ação nos seus jogos.

A mais simples envolve separar um pedaço de papel para escrever os nomes dos seus jogadores e dos seus NPCs com o seu resultado em iniciativa do lado, e depois, refazer a lista em um espaço próximo só com os nomes dos jogadores e dos NPCs em ordem de ação.

Exemplo:

  • Felícia 7
  • Ohki 8
  • Thi 18
  • Clarice 19
  • Dragão Branco de Olhos Azuis 22
  • Dragonetes 9
  • Dragão Branco de Olhos Azuis
  • Clarice
  • Thi
  • Dragonetes
  • Ohki
  • Felícia

Com a segunda lista feita, basta colocar risquinhos do lado do nome de quem realizar seu turno pra garantir que ninguém vai ser pulado. E não esqueça de deixar espaço encima e embaixo da lista caso novas pessoas entrem ou alguém tome a iniciativa caso isso seja possível no seu sistema.

E também não esqueça que adversários sem nome com ficha de bucha de canhão não rolam iniciativa individualmente. É só uma pro grupo todo.

Mantenha seus jogadores organizados

Não é obrigação sua lembrar todo detalhe de todas as fichas de todos os seus jogadores. Os seus jogadores devem ter competência de ler as próprias fichas e conhecer a própria personagem durante o jogo. E se D&D 4.0 prestou pra alguma coisa, foi pra mostrar como você pode fazer isso de forma criativa.

Versões físicas de Dragon Age RPG normalmente vêm junto com cartões explicativos de ações menores, ações principais e façanhas, o que pode facilitar seu trabalho. Mas garanta que seus jogadores não esqueçam que esses cartões existem. De preferência tenha um cartão de cada tipo pra cada jogador. E caso você não tenha acesso a esse tipo de coisa do seu próprio sistema, imprima isso pros seus jogadores. manterem essas informações perto de si mesmos o tempo todo.

E não deixe seus jogadores sofrerem da síndrome da ficha inútil. Faça que todos eles anotem todos os seus próprios poderes, talentos, feitiços, vantagens, desvantagens e antecedentes. Mas não só anotar nomes e valores, eles tem que anotar as DESCRIÇÕES também!  Eu mesma jogando com a síndrome da ficha inútil acabo me perdendo em relação a o que minha personagem é capaz de fazer, e na mesa de Mutantes & Malfeitores (quantos jogos do Chris Pramas né?) da qual eu participo eu vivo querendo realizar feitos os quais eu aparentemente não posso fazer.

Você pode manter essas ações e poderes anotadas na forma de listas em papel mesmo, ou você pode roubar um pedaço útil do D&D 4.0, e montar baralhos de ação pros seus jogadores terem as suas ações e poderes na sua frente no formato de cartas bonitas e úteis que podem ser simplesmente jogadas no centro da mesa para declarar ações.

E caso seja um jogo online usando o Roll20.net, você pode dar abilities e macros para as suas personagens.

Acessórios

Eu publiquei o post e esqueci da parte mais importante, mas também mais simples de esquecer.
Quando você está narrando, você precisa ter alguns itens sempre com você:

Dados/baralhos, lápis, borracha, caderninho, bloco de notas/post-its/celular com acesso a internet.

E se você está jogando com algum tipo de grade plastificada é bom ter marcadores a base d’água também, miniaturas ou tokens, e anéis de garrafa plástica que você possa usar como modificador de status dos seus tokens personagens (por exemplo, o anel roxo de uma fanta uva pode representar envenenamento, enquanto um anel vermelho da coca cola pode representar sangramento).

Use o bloco de notas ou o caderninho pra anotar pontos importantes da sessão que deverão ser lembrados depois. E pedaços do bloco de notas ou post-its podem ser usados para passar notas secretas para algum dos jogadores.

Alternativamente, entretanto, você pode simplesmente mandar essas notas secretas via Whatsapp ou qualquer outro tipo de IM, que não vai fazer diferença (a notinha que você passar pra sua jogadora provavelmente vai ser jogada fora mesmo depois que ela anotar o que julgar necessário na própria ficha).

tumblr_o91ic5pruw1uc9x1zo1_500


Espero que essas dicas sejam úteis pra vocês, e não esqueçam de compartilhar as próprias dicas.

E de dar uma força no Patreon caso queiram mais coisas assim.

Amo vocês. Até mais!

Um comentário sobre “Dicas de Narratriz #1 – Organizar Informações

Comente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.