Trabalhe Como Um Gato: O Motivo Pelo Qual Você Deveria Relaxar No Trabalho

Esse texto foi originalmente escrito em inglês por Emerican Johnson no site non-compete sob o título Work Like a Cat: Here’s Why You Should Slack Off At Work. Esta é uma tradução livre para o português brasileiro, com algumas adaptações culturais (churrasco no lugar de piquenique por exemplo) para que o texto faça sentido no nosso contexto. E seguindo o padrão linguístico do blog de usar o gênero feminino como neutro, exceto quando se referindo a entidades opressoras ou quando a masculinidade do sujeito esteja explícita.

O texto precisa, entretanto, de contextualização sobre cultura de sabotagem, que você pode conseguir com esse vídeo caso não esteja familiarizada com o contexto.

Agora sem mais delongas…

Continuar lendo

Apropriação Transgênera (Um Resumo) – SBGames 2017

Nos dias 2, 3 e 4 de Novembro desse ano (2017) aconteceu a 13ª SBGames, um evento nacional sobre a pesquisa acadêmica e o desenvolvimento de videogames. E foi uma SBGames bastante especial por que a Thais Weiller – mulher mais incrível deste planeta – estava lá e resolveu montar um espaço pra gente falar de diversidades nos jogos, prontamente chamado de Jogos Diversos.

Este espaço foi ocupado por palestras maravilhosas de projetos e pesquisas que estão acontecendo ao redor desses temas, junto com rodas de conversa contando com a participação de algumas pessoas bastante incríveis como a Letícia Rodrigues, Beatriz Blanco, Lucas Goulart, Tainá Félix, Luiz Bragança, Tathiana Sanches, e mais um mundo de pessoas que eu não tenho como lembrar o nome e/ou linkar os seus projetos.

Tiveram duas mesas das quais eu participei, e eu quero falar das minhas apresentações nessas mesas aqui no blog porque muita gente tem me falado “nossa, que legal, Felicia. Do que você falou?” e eu posso simplesmente linkar este post para elas. Sem falar que na primeira apresentação eu estava nervosa que só o diabo e não consegui falar tudo que eu queria. Espero poder compensar aqui.

Mas uma dessas apresentações não será necessário falar sobre por que no Dia 4 eu basicamente só repeti as coisas que estão escritas no post recente Um Caso de Consequências – Hellblade, The Cat Lady, Downfall e Atipicidades Mentais.

A apresentação do Dia 3 foi uma compilação de outros assuntos que tratei no blog, mas eles estão espalhados de forma confusa. Então por que não fazer um post no blog resumindo essa história da mesma forma que fiz na SBGames?

Vamos lá! Continuar lendo

A Fusão Entre Jogadore e Personagem

Fotografia por Priscilla Lacerda do Museu do RPG

Yay! Eu recebi a primeira colaboração da comunidade pro FGD. Blog que a pesar de levar o meu nome, é tão meu quanto de vocês. E esse post é sobre o tal do “bleeding”, um conceito que surgiu no mundo do LARP (Live Action Role Playing) e acabou sangrando pro resto do mundo dos jogos (Eu sou demais com trocadilhos né? Fala sério!)

E eu gostaria de vos lembrar que toda pessoa trans é mais do que bem vinda pra contribuir com o site de qualquer forma!

A FUSÃO ENTRE JOGADORE E PERSONAGEM

Por Flávio “Sol Mas Lua” Schmidlin

No mundo dos jogos e esportes existe uma expressão bastante comum, que é sempre repetida e cria uma expectativa de como se deve agir nos jogos. Diz-se sempre “leve na esportiva”. Mas qual a origem conceitual desta fala? Continuar lendo

Eu Sou Uma Mulher Trans. Estou No Armário. Não Vou Sair Dele.

Antes de vocês passarem pro texto da Jennifer, eu, a editora, Felicia Guerreiro, gostaria de fazer umas observações.

Esse texto não é a coisa mais polêmica do mundo na internet anglófona (que fala inglês), mas várias ideias apresentadas aqui provavelmente vão demolir algumas ideias de transgeneridade populares na comunidade LGBT e feminista brasileira. A autora do texto também desafia a forma como o feminismo é feito e propagado nos dias de hoje enquanto conta uma história muito íntima sobre a sua transgeneridade. E eu AMO essa autora por isso.

Não tomo as palavras dela como as minhas, mas defendê-las-ei com tudo que tenho.

E esse texto também tem uma linguagem um pouco acadêmica e difícil de entender. Eu geralmente não gosto de publicar esse tipo de texto, mas abri uma exceção pela mensagem aqui ser poderosa demais pra deixar passar.

TEXTO ORIGINAL

Eu Sou Uma Mulher Trans. Estou No Armário. Não Vou Sair Dele.

Texto por Jennifer Coates; Traduzido por Felicia Guerreiro

Continuar lendo

Guia Para a Linguagem Oral Não-binária ou Neutra

Eu quis fazer um post sobre o dia da visibilidade trans (29 de janeiro), mas como vocês sabem, nem sempre dá. Então resolvi trazer isso pra vocês hoje.

Pessoas não-binárias também são trans. Geralmente elas são esquecidas nos discursos sobre transgeneridade, então resolvi transcrever esse guia muito útil escrito por Cari Lobo em um coletivo não-binário brasileiro sobre formas muito úteis e convenientes de tratar pessoas não-binárias oralmente!

Espero que gostem! Eu amei. :3

Os links do Google Translate do texto original foram tirados porque agora ele “corrige” pronomes “errados”. Continuar lendo

Visibilidade trans no M20!

Cara, eu AMO a Onyx Path Publishing! Eles são tipo a BioWare dos jogos de mesa.

Ontem eu encontrei esse bloco de texto da edição de 20 anos de Mago: A Ascensão enquanto surfava pela internet. E meu respeito pelos caras que trabalham na Onyx Path triplicou depois dessa.

O texto fala sobre fluidez de gênero e sexualidade entre os magos e os adormecidos (pessoas que não sabem fazer magia) e sobre a interpretação de personagens de realidades culturais diferentes da sua.

REPRESENTATIVIDADE IMPORTA SIM! É sempre bom ver obras incluindo pessoas trans e outras identidades de gênero como parte da sua realidade. Mesmo que seja em um jogo de nicho feito pra um publico hardcore de uma mídia super underground, como é o caso de Mago: A Ascensão.

Aqui vai uma tradução minha do conteúdo:

Continuar lendo