Gratidão e Minecraft no Equinócio de Março de 2019

Eu sei. As coisas andam meio estressantes ultimamente e não parece que tem muita coisa pra gente ser grata acontecendo. O mundo tá uma bosta e as nossas vidas pessoais provavelmente também estão uma bosta. E se você quiser botar a culpa nas estrelas, a estrela em questão é o Sol, que no dia de hoje entra em equinócio com o nosso planeta e logo deixará de agraciar o hemisfério Sul com seu calor escaldante.

Continuar lendo

Solstício de Dezembro de 2018

Esse post se trata da religião Wiccana. Mas também tem anúncios e esclarecimentos em uma segunda parte para a qual quem não tem interesse em religião poder pular só pra se manter atualizada.

Desde que a página do Facebook começou lá em 2015 eu tenho feito um leve trabalho de feitiçaria cibernética junto com esse projeto. Esse trabalho consistia em escrever textos na página para refletir sobre os 8 Sabbaths da Roda do Ano druídica e wiccana (algumas pessoas chamam ela de Roda do Ano Celta, mas eu não acho que seja possível afirmar o contexto histórico que justifique esse termo).

Esses textos haviam sido delegados ao Facebook, pois é um lugar casual onde eu não necessariamente preciso manter algum tipo de “tema”. Mas com um novo ano gregoriano chegando e a perspectiva da minha provável iniciação se aproximando, eu decidi que a conexão do meu trabalho profissional e acadêmico é importantíssima. Com o desejo de mudar algumas coisas por aqui, trago então esses textos também, que ao decorrer do projeto serão escritos conforme novos temas e reflexões sobre essas importantes épocas do ano forem surgindo.

Gostaria de lembrar antes de começar que as histórias que eu trarei aqui geralmente não fazem parte do consenso que as pessoas chamam de “celta”. Eu vou estar falando de vários mitos e interpretações que acabam fugindo das leituras clássicas de Gardner e Farrar porque a Roda do Ano é pra ser algo pessoal. Se algo que eu disser aqui ressoar contigo, mais poder pra nós. Se não, vida que segue e incentivo você a encontrar seus próprios mitos.

Continuar lendo

Mas Naquela Época! História do Preconceito Sexual na Fantasia Medieval

Trigger Warning: Weird Tales. As Crônicas de Gor. Não tente satisfazer sua curiosidade mórbida.

Enrolei pra caralho. Mais de um mês, mas aqui estou de volta ao reino dos mortais para falar de Fantasia Medieval e do porque eu gosto tanto de Dragon Age e não consigo calar a boca sobre esse negócio. Mas antes de falar da desconstrução do gênero, é bom a gente falar da construção dele. Em específico sobre a relação dele com preconceitos sexuais.

Da última vez nós falamos da origem dos preconceitos sexuais no nosso mundo. E aquela foi uma discussão extremamente interessante e elucidativa, mas por que ela é importante pra falar de fantasia? Fantasia é o que quer que surja nas nossas imaginações, não é mesmo? Então por que isso deveria importar? Continuar lendo

Mas Naquela Época! Introdução & História do Preconceito Sexual

Fantasia Medieval. Meu gênero de ficção favorito pra ser honesta. Ele nos da dragões, magia, e uma base semelhante o suficiente a história do nosso próprio mundo pra explorar problemas mais pé no chão que talvez não sejam possíveis nos gêneros de ultra-high-fantasy ou sci-fi.

Okay, talvez isso seja só uma desculpa pra um certo fetichismo nórdico criado por Tolkien. Mas é um gênero MUITO popular! Principalmente no mundo do RPG. E justamente por ser tão popular ninguém pensa muito sobre. “Ah, é só mais um D&D” pensam os céticos quando olham pra uma caixa de Dragon Age. Mas o conteúdo dessas caixas escondem muito mais do que cavaleiros e dragões.

John R. R. Tolkien, Robert E. Howard, Dave Arneson e Gary Gygax criaram todas as regras silenciosas da Fantasia Medieval que ninguém questiona ou põe a prova. E os seus trabalhos eram abertos o suficiente (principalmente do Gygax) pra que qualquer suposição que o seu publico alvo tenha sobre a realidade acaba entrando ainda mais silenciosamente dentro desse léxico fantástico.

E eu quero desafiar esse léxico. Muita gente gosta de usar esse gênero de fantasia pra justificar comportamentos preconceituosos, usando principalmente do argumento “MAS NAQUELA ÉPOCA”. E é disso que se tratará essa série de textos. Eu quero desafiar a noção do público da Fantasia Medieval. De o que “aquela época” significa. E com isso talvez você saia daqui aprendendo alguma coisa nova. Continuar lendo

Persona 5 Um Problema de Idades?

CW: Discussão sobre pedofilia.

Persona 5 é um joguinho complicado né? Não, não mecanicamente. Ele é complicado de se falar sobre os temas. E não, não é por causa que os temas são pesados. E sim porque as mensagens que ele passa são contraditórias.

E dependendo do seu olhar, o jogo parece ter umas definições um pouco maleáveis demais do que é ou não é uma relação sexual aceitável. É uma questão complicada de um jogo complicado vindo de uma cultura complicada. E eu quero falar dessas complicações.

Spoilers adiante. Continuar lendo

Um Caso de Consequências – Hellblade, The Cat Lady, Downfall e Atipicidades Mentais

Eu tava demorando muito já pra tratar desse assunto por que surgiram alguns problemas essa semana, que por acaso foi a mesma semana que eu terminei de jogar Hellblade: Senua’s Sacrifice.

E que jogo do caralho. A música, os sons, a arte. Quase tudo sobre Hellblade é incrível, mas eu sinto a necessidade de tratar um assunto específico em relação a esse jogo e outros dois jogos famosos sobre atipicidades mentais que por acaso também foram um marco grande na minha vida: Downfall e The Cat Lady.

Vou tentar manter o texto sem spoilers de Hellblade, mas de Downfall e The Cat Lady serão inevitáveis. Continuar lendo

O Feitiço de Ser Sua Própria Melhor Amiga

Arte por kimbbq

Eu honestamente não sei por onde começar com isso. O hype passou.

Eu não tenho o que dize pra vocês, mas algo, dentro do âmago do meu ser, diz que eu devo. Eu tenho uma obrigação moral de vir até vocês, leitoras e leitores, que tem me acompanhado na minha jornada até aqui a dois anos, e dizer o que aconteceu comigo nestas últimas semanas.

Eu quis escrever esse texto a mais de uma semana atrás, mas eu acabei decidindo não escrever porque eu tinha “responsabilidades” para atender. Mas existe alguma responsabilidade maior nessa Terra sagrada do que a responsabilidade que eu tenho comigo mesma e meu próprio espírito?

Infelizmente minha noção de tempo é distorcida por vários acontecimentos. Na realidade, ela sempre foi, mas agora especialmente eu não tenho ideia de quando ou como certas coisas aconteceram.

Mas eu devo satisfação pra vocês (porque eu ando escrevendo pouco) e pra mim mesma.

aviso de conteúdo: depressão, suicídio, alucinações

Continuar lendo

Magia Cinematic Universe

Uma das partes mais legais do universo da Marvel – e de quadrinhos em geral – é a magia. Aqueles aspectos da realidade do quadrinho que não são, não precisam, e não devem ser explicados por scientific babble, e se encaixam bem melhor no reino da filosofia/espiritualidade/religião.

O que eu acho particularmente interessante sobre Magia Marvel, é que ela se baseia em conceitos “reais” de magia. E geralmente (não sempre, depende de autor pra autor e de qual época a gente tá falando) se mantém distante daquela coisa de todomundo ter super poderes e magia ser só uma desculpa pra quando você não tem uma desculpa. Ou então aquela putaria de mesas de Mundo das Trevas que faz parecer que todas as criaturas do universo são sobrenaturais e não existem pessoas normais de verdade.

Ah é. Spoilers de Dr. Strange a seguir: Continuar lendo

DCEU aos olhos de uma marvete pagã

Eu sou uma Marvete! Sempre fui uma marvete! Meus supers favoritos são o Demolidor, a Thor, o Loki, a Vampira e etc. E eu não tenho a MENOR ideia do que rola na DC.

Na minha infância eu nunca tive saco pros desenhos da Liga da Justiça, e por mais que eu gostasse do desenho dos Jovens Titãs, o desenho era COMPLETAMENTE diferente dos gibis, que eu sinceramente achava um porre. E por mais que eu goste de Batman: Begins , The Dark Knight, alguns dos desenhos antigos do batman, nada realmente me fez querer ler os gibis.

Eu tentei ler A Noite Mais Densa, Batgirl dos Novos 52, Justice League Dark, mas nada me prendeu… Nada se quer me deixou interessada, com exceção de Sandman.

E quando chegou a data de estréia de Batman Vs. Superman, o novo filme da DCEU (Dream Comics Extended Universe) dirigido por Zack Snyder, eu decidi dar uma chance nova pra esse universo de super-heróis que eu mal conheço e nunca consegui apreciar.

Spoilers de Homem de Aço, Batman vs. Superman e… Kill Bill vol.2? Continuar lendo

Lughlogia – Jogos de Mesa e Paganismo

Eu não costumo falar de religião aqui no blog. Não é o tipo de coisa que fica se divulgando a torto e a direito, por mais que eu fale algo sobre os sabbaths da Roda do Ano na página do facebook.

Mas hoje é diferente. Hoje é Lammas. Hoje é Lughnasadh. Hoje é o dia da primeira colheita da Roda do Ano Céltica no hemisfério sul, em que a gente monta bonequinhas de palha e joga joguinhos.

Eu já fiz o ritual de Lammas no dia 31 do mês passado, mas a data “oficial” é dia 2 de Fevereiro, e algo que eu não apontei no post do facebook sobre o assunto, é que este é o sabbath dos jogos! E esse é um blog sobre jogos! Parece um casamento perfeito 8D Continuar lendo