Revolucionárias

Essa é a página dedicada para todas as pessoas que tornam esse projeto possível! Seu nome também pode aparecer aqui dando uma força no catarse.me/FGD !


䓿 Catédricas 䓿


Thais Weiller

Sabe quando você olha pra uma pessoa e você pensa “é ela que eu quero ser quando crescer”? Pra mim essa é a Thais Weiller. Uma desenvolvedora de jogos incrível e professora de game design na PUC-PR que no dia que eu encontrei numa reunião do GG o meu coração parou e eu tive que me segurar o máximo pra não ter um surto de fangirl.

VOCÊ provavelmente conhece ela como cofundadora da JoyMasher, um estúdio brasileiro de duas pessoas que nos trouxe duas joias retrô chamadas Oniken e Odallus.

Mas eu sou uma pateta com jogo de plataforma. Não, eu conheço a Thais por outro jogo totalmente diferente: Rainy Day. Um joguinho maravilhoso em Twine que se trata de ansiedade e mudou um pouco da minha perspectiva do que jogos realmente são capazes de fazer. Além de todas as palestras que ela deu em GDCs da vida como representante feminina do Brasil.

Ela também é uma das organizadoras do Glitch Mundo e do Glitch Tyba, projetos que eu acabei me envolvendo (até porque se envolver com o Glitch Tyba é só chegar no bar e encher a cara hauehuahuehae) e convivendo com a Thais nesse meio eu descobri que ela não é só uma desenvolvedora admirável, mas como também é uma das melhores pessoas do mundo.

Ela faz de tudo pro meio do desenvolvimento de jogos ser o melhor lugar possível pra todo mundo… menos homens cishéteros, esses podem acabar mesmo. E os caras que falam de “jogo-arte”. Ela é a rainha do sarcasmo e do humor ácido, mas também do carinho. Com todas as palavras e gestos de incentivo do mundo, acompanhada de alguns litros de choppe por semana, ela abraça todas as jovens desenvolvedoras que vão até ela, seja pelo curso ou outra forma. E isso inclui eu!

Ela fez muito mais por esse blog e por mim do que eu posso descrever. Definitivamente é a pessoa que mais me abriu portas nessa vida e continua abrindo. Então à ela eu entrego minha gratidão. Obrigada, Thais! É nóis que avoa bruxona.


Thiago “Beto” Alves

O único homem que eu respeito e admiro o suficiente pra chamar de “Daddy”. Okay, eu sei que isso vindo de mim não parece significar muita coisa, mas acredite que é.

Ele é um dos game designers anônimos que faz jogos que você curte mas provavelmente não tenha visto o nome dele especificamente jogado em algum lugar. Os jogos mais famosos dele são Qasir al-Wasat e Finding Monsters, mas se você anda por aí nos eventos acadêmicos de videogame (SBGames em particular) ou tenha algum equipamento de VR talvez você conheça ele pelo Angest, jogo que ele desenvolveu com a BlackRiver Studios.

Mas de longe, o meu jogo dele favorito é o Clouds Walk. É um joguinho bobo de Game Jam mas ele é tão lindo que, sério, vale bem mais que os 10 minutos que você vai gastar jogando.

E, não por coincidência, Clouds Walk é parte de um projeto que ele fez em base na sua tese de mestrado na universidade de Skövde: Explorando Narrativas Pouco Representadas: Ansiedade Social em Jogos.

E por ter escolhido esse tema de mestrado, você pode ter certeza de que o Beto é a pessoa mais gentil e carinhosa que você vai conhecer. Além de ter dado apoio pra esse blog desde o começo lá em 2015 e me apoiar em basicamente toda e qualquer coisa que eu decido fazer.

Sabe em Guardiões da Galáxia 2 o Yondu fala pro Quill “He may have been your father, boy. But he wasn’t your daddy.”? Acho que por essa linha de raciocínio, o Beto é realmente um Daddy.


๑۩๑ Filósofas ๑۩๑

Ainda não há revolucionárias ๑۩๑ Filósofas ๑۩๑.


☭✪ Ativistas ✪☭

Ainda não há revolucionárias ☭✪ Ativistas ✪☭.


Ⓐ Pink Block Ⓐ

Thiago Baptista

Ⓐ Blue Block Ⓐ

Tainá Felix da Silva
Mariane Gessner da Silva

Ⓐ White Block Ⓐ

Matheus de Mello Freire. Maíra Damasio Ferrari.